Prédios

Fundo administrado pela Indigo arremata concessão de estádio em São Paulo

Processo de concessão foi liberado pelo TCM. Empresa vai poder explorar estádio por até 35 anos.

Com menos futebol e mais eventos, estádio emblemático ganhará ares de centro comercial para voltar a atrair público

Inaugurado em 1940, em um bairro então- pouco habitado, o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, que foi palco de seis jogos na Copa do Mundo de 1950, viverá sua mais importante transformação em oito décadas. Após a assinatura de um contrato, o espaço, composto de uma piscina olímpica, duas quadras de tênis e um ginásio poliesportivo, além do campo, passará a ser administrado pelo Consórcio Patrimônio SP por 35 anos. O grupo, formado pelas empresas PROGEN e SAVONA Fundos de Investimentos, pagará 111 milhões de reais à prefeitura e promete investir outros 300 milhões de reais no complexo.

Previsão de um público diário de 5 mil pessoas

Para gerar atratividade financeira, a empreitada do deficitário centro esportivo prevê a demolição do tobogã, arquibancada inaugurada no início da década de 70 em substituição à histórica concha acústica. No seu lugar será erguido um prédio de cinco andares (mais quatro subsolos), com 44 000 metros quadrados de área construída. O projeto é da arquiteta Sol Camacho, do escritório Raddar. Do nível do gramado para cima, os dois primeiros pavimentos serão alugados para escritórios e firmas de serviços, como bares e restaurantes. A ideia é buscar companhias de coworking e empresas da economia criativa. Na alimentação, a expectativa é atrair estabelecimentos de vários segmentos e preços.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home